Atualizado: Como é a fábrica de cabinas 4.0 da Mercedes-Benz no Brasil

Operando desde janeiro deste ano na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), a linha de montagem de cabine com novas tecnologias de inteligência artificial (realidade virtual, abastecimento de peças na linha com pequenos veículos autônomos etc.) já é realidade na Mercedes-Benz e será em toda indústria de caminhões em um futuro muito próximo.

Veja vídeo de 1 minuto sobre esta nova linha de montagem de cabine 4.0 e abaixo o texto que explica o que é uma fábrica 4.0.

Entenda o que é uma fábrica 4.0

Em março de 2018, a Mercedes-Benz já havia apresentado os primeiros passos para a indústria 4.0. No dia 29 de março daquele publicamos o artigo “O que frotistas ganham com a nova fábrica 4.0 da Mercedes-Benz?”, link para este artigo no final deste texto.

A linha de montagem de cabinas 4.0 é mais um passo nessa revolução, com o uso da inteligência artificial e a redução da dependência do trabalho humano.

Os pilares da quarta revolução industrial utilizada tecnologia digital, uso de óculos de realidade aumentada, robôs colaborativos, exoesqueleto, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas, conceitos presentes na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

Novas fases

Segundo o presidente da Mercedes-Benz, Philipp Schiemer, este conceito 4.0 agora vai avançar para a produção de agregados, como motores, câmbios e eixos, e também de chassis de ônibus. Com isso, a Mercedes-Benz projeta ganhos de 15% em eficiência e 20% em logística em relação aos processos anteriores.

“Com a nova linha de cabinas, seguimos entregando investimentos no Brasil, dentro do aporte de R$ 2,4 bilhões programado entre 2018 e 2022”, informa Philipp Schiemer. “Ou seja, a Mercedes-Benz segue confiando no potencial do mercado brasileiro”.

Dados gerados por equipamentos como as apertadeiras eletrônicas, robôs e AGVs (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente) são armazenados em um Data Lake e alimentam sistemas de Inteligência Artificial e Big Data. Utilizando recursos de Analytics, pode-se monitorar a qualidade de todos os produtos, detectar falhas e até fazer uma correlação com as informações de Vendas, flexibilizando o mix de produção.

Fonte: Transporte Mundial